sexta-feira, 17 de abril de 2009

Monica Bellucci, pés de bode em salto agulha


Anoitece a Rosa
Pétalas, aromas, delicadeza, nada disso conta mais
Agora é a hora e a vez dos espinhos
Da robustez do caule ereto se pressupõe o resultado do jogo

Mas toda aposta é precipitada
Se Walt Whitman adentra o salão alisando a barba com volúpia
E o pequeno Allen se deleita com a cena
Enquanto joga seus dados e tira a camisa de Jack

O vinho barato entornado pelos garotos dos dados não é para WW
O velho, cansado, tropeça em si mesmo
Em busca de seu anjo púbere
E com seu mijo oldeight rega a Rosa no canto do salão

Bortolotto mete o pé na estrada, traz seus atores e comanda:
Falem, bebam, trepem
Jack sorri e agradece ao Brasil
A geração maldita, cansada e carcomida começa a dançar

Acendem uma fogueira no centro da festa
Convidam apaches, românticos tísicos, Neo and Morpheus
E quem surge, ou sempre esteve lá, é Monica Bellucci
De pau duro

Seus pés de bode ficam lindamente equilibrados em saltos agulha
Luz
A festa da luz
Os dados jogam os homens e doze é o número

Bellucci usa as duas mãos pra segurar seu pau esfolado
Jack, Allen, Bortolotto, Walt e tantos outros vibram
A Rosa, banhada em mijo oldeight, desfalece
Beat,
Pimentas
Cus
Refrescos.
Monica, vai descendo até o chão
Chão
Chão
ChãoChãoChão
De pau duro até o
Chão

WW: Será você meu Anjo?

3 comentários:

Rosa Cardoso disse...

Essa mulher é linda,mesmo...aff!

Bom texto,dona Mira.

^^

O esconderijo do Pinico disse...

Uma mente mais conturbada que a minha! meu eu tenho que mostrar esse blog pra minha mãe, ela vai me achar um santo!

Parabéns, mesmo. Eu nunca vi uma febre tão forte e inteligente assim cá por esses tempos frutinhas.

Allan Vidigal disse...

é.
Do caralho.